quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Como não há-de ser louco o homem que, neste meio, se incha ou se encrespa ou se lamenta, como se qualquer coisa o tivesse perturbado





Sem comentários: