domingo, 16 de junho de 2013

Quem deseja diminuir a sua ignorância deve, em primeiro lugar, confessá-la.





Ninguém está livre de dizer tolices; o imperdoável é dizê-las solenemente.




Chorarmos por daqui a cem anos não estarmos vivos é loucura semelhante à de chorarmos por não termos vivido há cem anos
Aquele que castiga quando está irritado, não corrige, vinga-se.



O silêncio, tal como a modéstia, ajuda muito numa conversação.
Pode-se ter saudades dos tempos bons mas não se deve fugir ao presente.

Ensinam-nos a viver quando a vida já passou.






Nada parece verdadeiro que não possa parecer falso.


Nunca devemos dizer tudo, pois seria tolice; mas é indispensável que aquilo que se diz corresponda ao nosso pensamento; de contrário, é maldade.

Quando me contrariam, despertam-me a atenção, não a cólera: aproximo-me de quem me contradiz e instrui.










Qualquer que seja a aparência da novidade, eu não mudo facilmente, com medo de perder com a troca.
Quem teme o sofrimento sofre já aquilo que teme.


A verdadeira liberdade é podermos tudo por nós.


Poucos homens foram admirados pelos seus criados