terça-feira, 15 de novembro de 2011



Num tempo soturno, melancólico, deprimente.


Um reino de filhos da puta é assim uma excelente metáfora de um país chamado Portugal. Que remunera
vitaliciamente uma “sinistra matilha” de ex-políticos, quando tudo ou quase tudo à nossa volta se desagrega a caminho de uma miséria colectiva irreversível.
Tempo de minhocas e de filhos da puta, digo eu.


“Tempo de solidão e de incerteza / Tempo de medo e tempo de traição / Tempo de injustiça e de vileza / Tempo de negação”,
“O dia deu em chuvoso”, escreveu Álvaro de Campos
O Popeye fumava erva
A Olívia Palito tinha bulimia 


O Super Homem, granda maluco, colocava as cuecas por cima das calças de licra...


O Zé Colmeia e o seu grupo eram cleptomaníacos e roubavam cestas de piquenique

A Branca de Neve morava com 7 homens e foi beijada por um estranho para acordar...




A Bela Adormecida era uma preguiçosa... 

O Batman cinduzia a mais de 320 km/h ...

O Aladino era ladrão...

O Pinóquio mentia... 



A Cinderela chegava à casa depois da meia noite... 
Vi o Tarzan andar quase todo nu pela selva...