domingo, 7 de outubro de 2012

embarquei no milagre que há em ti
perdi-me contigo
demos as mãos
caminhámos num abraço eterno
tão ao longe

percorri-te de cor
nos teus braços de amor adormeci



anoiteceu, meu amor, pressinto-te perto
juntei-me a ti, mergulhei no teu silêncio mágico
lentamente
escrevo o teu nome na areia
o tempo parou por instantes





escrevo o teu nome na areia
o tempo parou por instantes









Anoiteceu, meu amor
Bebo o dia que me resta

Podes cantar toda a noite
Que eu até te acho graça

Podes cair todo o dia
Se parares de vez em quando
Passou aqui uma nuvem
Com o formato de um anjo


Se alguém me quiser prender
Lá não vou dizer que não

Vamos ser dois a chorar

Adeus que me vou embora
Adeus que me embora vou

Tenho maneira de te convencer
Tenho modo e jeito para te prender





A culpa é da vontade
Que eu tenho de te sentir
Deixa ver a marca da minha emoção
Não digas que não






As tuas pernas, que sedução
Cobiço esse sexo , sim
ao teu peito a mão
mas levo um estalo e ainda te ris de mim