sábado, 10 de novembro de 2012

Ter uma sogra sempre ao lado
É bem pior que ser multado





Nestes trinta e quatro meses
Só me comeste três vezes










A mãe disse ao jovem, antes de partir
Meu capuchinho, tu tens de lá ir
Mas tem cuidado não subas a voz
que anda nos bosques a loba feroz

Vai pela sombra da banda de cá
E não te aventures pelos maus caminhos
Olha que a loba é má, muito má
É uma bicha que come os meninos

LEVA O ALMOÇO À AVOZINHA MARIA
QUE MORA LONGE DALI
A VELHA TEVE UMA PARALISIA
VAI PÔ-LA A FAZER XIXI



Mas tem cuidado não subas a voz
que anda nos bosques a loba feroz
LEVA O ALMOÇO À AVOZINHA MARIA
QUE MORA LONGE DALI
A VELHA TEVE UMA PARALISIA
VAI PÔ-LA A FAZER XIXI
É cada insónia
Valha-me
É de gritos, é de gritos
É de gritos põe-me louco
Mas não me quer dar troco
Apaixonado apaixonado
De uma maneira incontrolável



Sou um romântico incurável
Acho que me hipnotizou




Estou bem disposto


Amigo, ande
Que o prazer é meu
É gente honesta
Entrem todos
Neste festa
Que hoje pago eu
Adeus vou ali já venho!
Depois do peeling
Ficou tão fininha a pela
Que parece ate papel
Reciclado a mais de um ano
No seu traseiro
Tirou uma gordura
Modelou a cintura
Com lipoaspiração
Já o nariz
Encurtado a facada
Transformou-lhe a fachada
Em focinho de cão

Que quando sorri para mim
Brilham mais do que faróis
Vou tratar de atarraxar
Algo de suplementar
Aí meu amor
Ao pé de tanta beldade
Qualquer masculinidade
Não compete no tamanho

Bela peitaça


Só é pena a bicharada!
Deixou na pele
O teu calor