quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Aproximei-me de ti; e tu, pegando-me na mão, puxaste-me para os teus olhos transparentes








Não sei onde estás, se falas ou se apenas olhas o horizonte




No fundo, as relações entre mim e ti cabem na palma da mão





Eu, sabendo que te amo, e como as coisas do amor são difíceis






Conheci tipos que viveram muito - os que nunca souberam nada da própria vida.














Volto, então, à primeira hipótese. O amor. Mas sem o gastar de uma vez









«Vem comigo!», e devo dizer-te que muitas
vezes pensei em fazer isso mesmo, mas era tarde,
isto é, a porta tinha-se fechado

Quero-te, como se fosses a presa indiferente


Todo o conforto tem de ser pago. A situação do animal doméstico arrasta atrás de si a do animal de abate.