sábado, 23 de abril de 2011



Love is leaving


Nenhum objecto material, por muito belo ou valioso que seja, nos faz sentir amados.


Pode-se dizer que o amor é amizade sem freios.


O amor faz-nos suportar o destino, faz-nos amar a vida.


Nós, seres humanos, somos animais dependentes do amor.




No Matter What You Do


Apenas há uma forma de se ser feliz na vida: amando e sendo amado.



Ser ou não ser, eis a questão.
O que é mais nobre? Sofrer na alma
As flechas da fortuna ultrajante
Ou pegar em armas contra um mar de dores
Pondo-lhes um fim? Morrer, dormir


Inside Of Me


(Se eu casasse com a filha da minha lavadeira 
Talvez fosse feliz.) 



I Wanna Touch Your Soul




Depois deito-me para trás na cadeira 
E continuo fumando. 
Enquanto o Destino mo conceder, continuarei fumando.


I Am Not Drunk



Deito tudo para o chão, como tenho deitado a vida.



Tenho apertado ao peito hipotético mais humanidades do que Cristo


Change Style



Saio da janela, sento-me numa cadeira. Em que hei-de pensar?


set your body free



Estou hoje perplexo como quem pensou e achou e esqueceu. 
Estou hoje dividido entre a lealdade que devo 


Janelas do meu quarto,
Do meu quarto de um dos milhões do mundo que ninguém sabe quem é
(E se soubessem quem é, o que saberiam?),


Contra nós um coração duro não useis. 


(This is the hook)


Os dias dos seres humanos são como a erva: como a flor do campo assim florescem, mas mal o vento sopra, logo deixam de existir, e o seu lugar não mais conhecem.


Abençoado seja o que inventou o sono, a manta que cobre todos os pensamentos humanos, o alimento que satisfaz a fome, a bebida que apazigua a sede, o fogo que aquece o frio, o frio que modera o calor, e, finalmente, a moeda corrente que compra todas as coisas, e a balança e os pesos que igualizam o pastor e o rei, o ignorante e o sábio.


Pequena alma errante, hóspede e companheira do corpo, para onde irás tu agora, pálida, rígida e nua, sem poderes brincar como dantes?




Pobre, intrincada alma! Enigmática, perplexa, labiríntica alma humana!


A vida é nada, a vida é tudo. É a mão com que seguramos a morte. 



I Want U


Da escuridão chegámos, para a escuridão vamos.




Quem tais fardos suportaria
Preferindo gemer e suar sob o peso de uma vida fatigante
A não pelo medo de algo depois da morte
Esse país desconhecido de cujos campos
Nenhum viajante retornou, e que nos baralha a vontade
E nos faz suportar os males que temos
Em vez de voar para o que não conhecemos?


A vida, acredita, não é um sonho
Tão negro quanto os sábios dizem ser.
Frequentemente uma manhã cinzenta
Prenuncia uma tarde agradável e soalhenta.


Come chocolates, pequena; 
Come chocolates! 
Olha que não há mais metafísica no mundo senão chocolates.


Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo.


Dooms Night




Os amigos nunca especulam sobre as minhas intenções. Nunca precisam de uma razão para estar comigo. Os amigos só esperam que eu seja eu mesmo, e são felizes com isso.