sábado, 16 de outubro de 2010



«Não me comparem com a Cesária»
in NOVA GENTE, 16.10.2006
Lura (cantora)


«Gosto de tomar o meu vinho e não vou deixar»
24HORAS, 13.Jan.2007
e de continuar a conduzir alcoolizado, supômos nós, que já se viu que a justiça portuguesa não o incomoda! Não fosse o Luisão do Benfica. Haja respeitinho pelo glorioso!  


«É difícil achar graça a alguma coisa com esta idade. Tenho 82 anos, porra! e o velho, geralmente, é egoista.»
Tabu 12.Jan.2008
Luís Pacheco 1925-2008 (escritor)


«Gosto de contar com orgulho que: sou licenciado em Direito mas a única vez que estive num tribunal foi como arguido.»
in revista TABÚ, 21.10.2006  
Luís Filipe Borges (apres. tv)


«Sou verdadeiramente uma idosa. Agora já posso ter desconto nos bilhetes dos transportes públicos. Pelo menos, há algum benefício em chegar-se a esta idade.»
CM 4.Abril.2009
Lili Caneças (jet-set)


«Ela [Carolina Salgado] é uma miúda muito inteligente que sabe que pisou um formigueiro»
24HORAS, citada pela SÁBADO, 11.Jan.2007
Leonor Pinhão (Jornalista)


«Foi sempre capa de se atirar à vida. É um exemplo para muita gente»
(sobre Simone de Oliveira)
Lux 23.Fev.2009  
Lara Li (cantora)


«Tudo é espectáculo. A sociedade-espectáculo é o novo “ópio do povo”»
CORREIO DA MANHÃ, 8.Julho.2007
Júlio Pomar (Pintor)


«Num momento de lucidez [a minha mãe] pediu-me para a ajudar a morrer. E eu não tive coragem. E não tenho nenhum orgulho nisso.(...) É um remorso com o qual terei de viver«
(sobre a mãe, doente Alzheimer)
Lux 23.Fev.2009
 
 
«Sou psiquiatra e chamar-me sexólogo não é completamente correcto, porque a sexologia não existe em Portugal enquanto especialidade médica»
in Nova Gente, 04.09.2006  Júlio Machado Vaz (sexólogo)
     


«Estou a falar com um burro e tenho milhões de pessoas a olhar para mim. Isto tem de significar alguma coisa».
Júlia Pinheiro, Apresentadora de TV - Única (Janeiro 2005).


«Concordo com a despenalização [da interrupção voluntária da gravidez] mas não gostaria de me alongar na resposta»
in 24HORAS, 30.10.2006
Judite de Sousa (jornalista)


«As sondagens partem de inquéritos duvidosos e aldrabados para chegarem a resultados necessariamente falsos que depois são analisados e interpretados com o maior rigor científico»
in Gaiola Aberta, Julho 2006
 José Vilhena (humorista)


«Portugal é um pobre País bem na cauda da Europa no que toca ao [rendimentos] per capita, aos níveis de produção, à qualidade dos transportes, do ensino, da saúde e da segurança social. - É um atraso de vida. Pois é, mas tem clubes de futebol, recheados de vedetas a quem pagam milhões. Aí competimos com os estrangeiros.»
in Gaiola Aberta, Julho 2006
José Vilhena (humorista)


«Se o casamento fosse coisa boa, Jesus Cristo ter-se-ia casado para dar o exemplo».
in "Gaiola Aberta", Julho 2006  
José Vilhena (humorista)


«Cada um de vós dará o seu melhor para um país mais justo, para um país mais pobre... pppperdão... para um país mais justo, mas também para um país mais solidário»
citado pela 'Única' de 8.Nov.2008


«Todos sabemos que cada dia que nasce é o primeiro para uns e será o último para outros e que, para a maioria, é só um dia mais»


Schneewittchen

Sleepy Head


Queen of Lust


Body Love


Sexual family. Excellent quality!


CONVENT



Ele é vogal de uma dessas entidades reguladoras portuguesas - insisto, não é ministro de país rico, é um vogal de entidade reguladora de país pobre - e foi de Lisboa ao Porto a uma reunião. 
Foi de avião, o que nem me parece um exagero, embora seja pago pelos meus impostos. Se ele tem uma função pública é bom que gaste o que é eficaz para a exercer bem: ir de avião é rápido e pode ser económico. Chegado ao Aeroporto de Sá Carneiro, o homem telefonou: "Onde está, sr. Martins?" O Martins é o motorista, saiu mais cedo de Lisboa para estar a horas em Pedras Rubras. O vogal da entidade reguladora não suporta a auto-estrada A1. 
O Martins foi levar o senhor doutor à reunião, esperou por ele, levou-o às compras porque a Baixa portuense é complicada, e foi depositá-lo de volta a Pedras Rubras. O Martins e o nosso carro regressaram pela auto-estrada a Lisboa. O vogal fez contas pelo relógio e concluiu que o Martins não estaria a tempo na Portela. Encolheu os ombros e regressou a casa de táxi, o que também detestava, mas há dias em que se tem de fazer sacrifícios. 
Na sua crónica nesta edição do DN, o meu camarada Jorge Fiel diz que o Estado tem 28 793 automóveis. Nunca perceberei por que razão os políticos não sabem apresentar medidas duras. Sócrates, ontem, ter-me-ia convencido se tivesse também anunciado que o Estado passou a ter 28 792 automóveis.
.


Também sou mineiro … tirem-me daqui!


A proposta de Orçamento de Estado para 2011 prevê o aumento significativo do IVA para vários produtos, que agora são tributados a 6 e 13% e que podem passar para o escalão dos 23%. Entre estes produtos encontram-se refrigerantes, aperitivos e 'snacks', mas também leites vitaminados, enriquecidos ou achocolatados, produtos lácteos, todas as conservas, exceptuando as de peixe, e oléos alimentares e margarinas. As mensalidades nos ginásios também vão ter taxa máxima.
De acordo com o Jornal de Negócios e o Público, o Governo pretende deixar de tributar à taxa reduzida (6%) para passar para a taxa normal os leites não correntes - os achocolatados e os que são enriquecidos ou vitaminados, como os que são vendidos com mais cálcio - e as bebidas e sobremesas lácteas. Também no sector alimentar, vai ser aumentado na mesma escala o IVA de refrigerantes e sumos ou néctares (incluindo os concentrados) feitos a partir de produtos hortofrutícolas.
A passagem do escalão reduzido para a taxa máxima estende-se ao material usado para combate e detecção de incêndios.
Também haverá alterações nas taxas a cobrar sobre compras de todas as conservas, exceptuando as de peixe: carne, moluscos e produtos hortofrutícolas, incluindo feijão, grão ou ervilhas enlatadas, compotas e geleias, vinagres e molhos. O mesmo acontecerá aos óleos alimentares e às margarinas, assim como aos aperitivos em embalagens individuais.
Também as plantas ornamentais e os arranjos de flores vão ser taxados a 23%.



Um viajante chega a uma cidade e entra num pequeno hotel. Na recepção,
entrega duas notas de 100,00 euros e pede para ver um quarto.
Enquanto o viajante inspecciona os quartos, o gerente do hotel sai correndo
com as duas notas de 100,00 euros e vai à mercearia ao lado pagar uma dívida
antiga, exactamente de 200 euros.
Surpreendido pelo pagamento inesperado da dívida, o merceeiro aproveita para
pagar a um fornecedor uma dívida também de 200 euros que tinha há muito.
O fornecedor, por sua vez, pega também nas duas notas e corre à farmácia
para liquidar uma dívida que aí tinha de... 200,00 euros.
O farmacêutico, com as duas notas na mão, corre disparado e vai a uma casa
de alterne ali ao lado liquidar uma dívida com uma prostituta.
Coincidentemente, a dívida era de 200 euros.
A prostituta agradecida, sai com o dinheiro em direcção ao hotel, lugar onde
habitualmente levava os seus clientes e que ultimamente não havia pago pelas
acomodações. Valor total da dívida: 200 euros. Ela avisa o gerente que está
a pagar a conta e coloca as notas em cima do balcão.
Nesse preciso momento, o viajante retorna do quarto, diz não ser o que
esperava, pega nas duas notas de volta, agradece e sai do hotel.
Ninguém ganhou ou gastou um cêntimo, porém agora toda a cidade vive sem
dívidas, com o crédito restaurado, e começa a ver o futuro com confiança!

*MORAL DA HISTÓRIA: O ORÇAMENTO DO ESTADO É UM FALSO PROBLEMA.*


UM  CASAL  DE  ALENTEJANOS  NO  BALLET

A Maria e o Manuel vão ao teatro Municipal assistir ao "Lago dos Cisnes".
Maria muito cansada, após um longo dia de trabalho, dorme profundamente
durante a maior parte do espectáculo.
Acorda sem graça e pergunta ao marido:

 

- Maneli dormi. Será que alguêem da platêa notô ?
Responde o Manuel:

- Da platêa nã sêe, mas todas as artistas sim, pois há horas que caminham
na pontinha dos pêis p'ra nã te acordari !!!


A crise também chegou à Moda Lisboa.
Este ano o principal evento de moda nacional teve contenção de custos e apenas foram contratados modelos com menos de 1,40m. Fonte da organização explicou : “A moda não escapa à crise, tivemos que reduzir custos e gasta-se muito menos tecido a fazer roupa para modelos anões.
Em média são menos de 45 cm de tecido por peça de roupa, poupamos imenso.
Para ter uma ideia só no fato de Simão Sabrosa o Nuno Gama poupou 550 eur. As pessoas não deram muito pela diferença porque tivemos um patrocínio da multiópticas que construiu uma lente de aumento em volta da passerelle e que é totalmente invisível.
A escolha do Mercado da Ribeira também foi feita tento em conta a poupança. Poupámos imenso no catering, todo à base de fruta e legumes, tudo cru e muito saudável. Também servimos um sushi muito inovador, de robalo, peixe-espada, dourada… Pedimos às peixeiras que deixassem nas bancas o peixe que não vendessem, depois à noite as pessoas passavam e comiam o que queriam. Tudo muito tradicional, muito típico. Foi um sucesso!”



Afinal, as avós não sabem tudo...
Paulinho tinha 9 anos e foi passar uns dias em casa da avó.
Ele brincava na rua com alguns coleguinhas e foi a casa tirar uma dúvida com a avó:
- Vovó, como se chama aquilo quando duas pessoas dormem no mesmo quarto e ficam uma em cima da outra?
A avó assustou-se com a pergunta, pensou e achou que seria melhor dizer a verdade:
- Bem, Paulinho, isso chama-se uma relação sexual...
Paulinho ficou satisfeito com a resposta e voltou para a rua brincar.
Passados alguns instantes entra em casa novamente, todo esbaforido, e diz:
- Vovó, aquilo que eu lhe perguntei, chama-se BELICHE...e a mãe do Zezinho agora quer falar consigo!


ENJOYS IT IN THE ASS ON SUNNY DAYS



Um ocidental em visita à China ficou surpreso de ver a quantidade de velhos saudáveis, e, curioso sobre os aspectos da milenar medicina chinesa, indagou de um experiente médico qual o segredo para se viver mais e melhor.

Ouviu do mesmo a sábia resposta:

"- É muito simples. 
É só:
Comer a metade.
Andar o dobro.
E rir o triplo
."

Parece simples, mas em verdade é o inverso do que se assiste na vida agitada e insana dos "civilizados" ocidentais...


os nossos gestores recebem, em média:
       - mais 32% do que os americanos;
      - mais 22,5% do que os franceses;
       - mais 55 % do que os finlandeses;
   - mais 56,5% do que os suecos"
      
 (dados de Manuel António Pina, Jornal de Notícias, 24/10/09)

E são estas "inteligências" (?) que chamam a nossa atenção afirmando: 

"os portugueses gastam acima das suas possibilidades".


 É preciso que se saiba que:
       "... os portugueses comuns (os que têm trabalho) ganham cerca de metade (55%) do que se ganha na zona euro



 
O Sol e a Lua ;)
 
Certo dia uma estrelinha que brilhava no céu virou-se para o Sol e perguntou-lhe: ...Oh, Sol tu que és tão bonito e brilhas tanto porque não casas com a Lua?




Casar com aquela gaja que anda sempre na noite, sempre de quarto em quarto e às vezes aparece cheia!?



A estrelinha foi-se embora um pouco triste e foi ter com a Lua perguntando-lhe: ...Oh, Lua tu que estás tão solitária, porque não casas com o Sol?



Eu? Casar com aquele gajo que demora 12h a pôr-se e outras 12 h a vir-se!!! Fdasss....   :)



Um alentejano abre uma filial de sua loja de pregos em Roma. Como a propaganda é a alma do negócio, fez um "outdoor" com a figura de Cristo pregado à cruz e em baixo estava escrito:  
'Pregos Garcia - 2.000 anos de Garantia'. 

Foi aquele rebuliço. O Bispo de Roma foi pessoalmente conversar com o alentejano e explicar-lhe que não podia fazer aquilo, que era pecado mortal... 
Então o alentejano resolveu fazer um novo outdoor. 
Colocou Cristo com uma das mãos pregadas na cruz e a outra solta, acenando. Em baixo estava escrito: 
'Adivinhe em qual mão foi usado o Prego Garcia?' 

- Meu Deus do Céu! - Até o Santo Papa saiu do Vaticano e foi conversar com o alentejano: 
- Que heresia meu filho! Não se pode usar Jesus Cristo como garoto propaganda... Inventa outra coisa e retire isto já!
 
- Então vou fazer um novo outdoor, sem o Cristo! - pensou o alentejano. Colocou a foto da cruz vazia e em baixo estava escrito: 
'Se o Prego fosse Garcia, o fulano não fugia...