segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Por querermos que assim fosse Deixo-te só





Bebo a saudade amarga e fria e então adormeço ao luar





E fugia até um dia ver chegar o meu navio



E isto lembra uma tristeza



Creio em amores lunares com piano ao fundo




Um desvio inquieto






Fiquei num olhar fundo Perdido não sei onde





Mas mesmo assim amor eu vou-te amar


Hoje tudo me entristece Tudo ensombra o meu olhar











O amor não se nega nem a quem nega o seu


Não fui eu Não fui eu







Deus queira, que este amor seja sincero






Mesmo que ao beijar não sintas