sábado, 1 de dezembro de 2012


Não restará na noite uma só estrela.
Não restará a noite.
Sou o que é ninguém
Sou o que sabe não ser menos
A lua ignora que é tranquila e clara
E não pode sequer saber que é lua
Quantas vidas possíveis já descansam
Os meus livros (que não sabem que existo)
São uma parte de mim
O que não daria eu pela memória
De que tu me dissesses que me amavas
Cometi o pior desses pecados
Que podem cometer-se. Não fui sendo
Feliz.
Não há-de te salvar o que deixaram
Escrito aqueles que o teu medo implora
A solidão que o tempo vai deixando
As coisas repetidas, a manhã
Que, prometendo o hoje, dá a véspera

Não quero ser quem sou.

Cada remorso e também cada lágrima.
Foram precisas todas essas coisas
Para que um dia as nossas mãos se unissem.


Naquele preciso momento o homem disse:
O que eu daria pela felicidade
O que prefere que os outros tenham razão.
Essas pessoas, que se ignoram, estão a salvar o mundo.
He was blinded by love

I salivate like a Pavlov dog



I see love
I see misery




Hey, hey, baby, honey what's wrong with you?
I can almost hear you sigh

I know you wanna leave me, but I refuse to let you go

I know I love you baby
I know I love you baby
I know I love you baby
But you don't even know my name

You better stop, look around
I can't get no
I can't get no