segunda-feira, 1 de setembro de 2014

É de um sadismo soberbo pensar que deveríamos ser julgados pelas nossas boas e más acções, uma vez que só de um pequeníssimo número das nossas acções podemos decidir.



























Sem comentários: