sexta-feira, 13 de junho de 2014

As lágrimas cuja amargura é pura, são as que não caem no seio de ninguém e que ninguém consola










Sem comentários: