quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Perdem-se as letras. Noite, meu amor, ó minha vida, eu nunca disse nada. Por nós, por ti, por mim, falou a dor. E a dor é evidente - libertada.

Sem comentários: